MOGI DAS CRUZES

Movimento contra pedágio na Mogi-Dutra fará novo protesto no sábado (15)

Com a demora em obter uma resposta por parte da Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) a respeito da possibilidade de instalação de um novo pedágio na Rodovia Mogi-Dutra (Rodovia Pedro Eroles ou SP 088), o Movimento ‘Pedágio Não’ decidiu marcar uma nova manifestação para protestar contra o projeto anunciado em outubro do ano passado pela autarquia.

O ato, que está marcado para às 10h do próximo sábado (15), será o terceiro realizado pelo grupo. Entretanto, de acordo com o representante do Movimento ‘Pedágio Não’, Paulo Boccuzzi, este será o maior de todos, pelo fato de unir, pela primeira vez, moradores da Serra do Itapety e do perímetro urbano. “Teremos o ponto de manifestação na saída de Mogi das cruzes, sentido Mogi-Dutra, no último semáforo da saída da cidade, nas imediações da concessionária Horizonte e do posto Itamaraty. Teremos também uma grande carreata partindo da Serra, ponto de encontro é o Aruã, onde se reunião todos os veículos de moradores da Serra, indo sentido a Mogi das Cruzes, de encontro à manifestação”, contou ele ao Notícias de Mogi.

Segundo Boccuzzi, já foram coletadas mais de 42 mil assinaturas por meio de dois abaixo-assinados: uma petição online, que já ultrapassou as 32 mil adesões, e uma petição física, que já ultrapassou as 10 mil. “Nós pretendemos entregar essas assinaturas ao Doria, em uma reunião que estamos tentando agendar, seja através do prefeito de Mogi das Cruzes ou dos diversos protocolos de solicitação de agenda junto ao governador, protocolados pelas entidades associativas e representativas que apoiam o Movimento Pedágio Não”.

“Somente através da mobilização popular é que nós vamos conseguir derrubar essa possibilidade de pedágio na Mogi-Dutra, embora tenha muitos políticos envolvidos e articulando com o Governo do Estado, é somente o clamor popular que pode virar esse jogo”, concluiu o manifestante.

Pedágio na Mogi-Dutra

A implantação do pedágio foi anunciada pela Artesp no dia 21 de outubro, junto com um pacote de obras que faz parte da concessão do Lote Rodovias do Litoral Paulista.

De acordo com o diretor-geral da Artesp, Giovanni Pengue Filho, a previsão inicial era criar a praça tarifária na Mogi-Bertioga, no entanto, com o objetivo de tornar a tarifa menor, a proposta foi alterada para a Mogi-Dutra.

Poucas horas após a reunião, mogianos que nela estiveram iniciaram uma grande mobilização contra a cobrança de tarifa na Mogi-Dutra, através de publicações nas redes sociais e abaixo-assinados virtuais que tiveram rápida aderência popular.

Com a repercussão, políticos da região também se posicionaram contra a ideia do pedágio na Mogi-Dutra, sem, no entanto, afirmar que também não concordariam com a mudança dele para a Mogi-Bertioga. Enquanto o deputado federal Marco Bertaiolli (PSD) disse que conversaria com o governador João Doria (PSDB) para reverter a decisão da Artesp, o prefeito Marcus Melo (PSDB) enviou um ofício ao Governo do Estado com a mesma solicitação. Os vereadores da Câmara Municipal de Mogi das Cruzes, por sua vez, aprovaram por unanimidade uma moção repudiando o projeto do pedágio na Mogi-Dutra, que seria entregue a deputados da região e ao executivo estadual.

Em 26 de outubro, moradores do condomínio Aruã, que fica às margens da Mogi-Dutra, organizaram uma manifestação para protestar contra o pedágio. A principal reclamação deles foi com relação ao fato de que começarão a ter que pagar tarifa para se deslocar ao trecho urbano da cidade, assim como moradores do Taboão e de outros bairros que fazem divisa com municípios na região.

A Artesp abriu, no dia 25 de outubro, uma consulta pública para colher opiniões e informações sobre as intervenções anunciadas no Lote Rodovias do Litoral Paulista. Puderam participar da consulta pública pessoas físicas ou jurídicas interessadas na matéria. O prazo para envio de sugestões foi encerrado no dia 25 de novembro de 2019.

Veja também:

Essa notícia foi atualizada em 11 de fevereiro de 2020 21:52

Compartilhar
Tudo sobre: ArtespMogi-DutraObras
Leandro Cesaroni

Jornalista graduado pela FIAM e pós-graduado em jornalismo cultural pela FAAP. Possui mais de 10 anos de experiência em jornalismo online