Mogi-Bertioga

Em audiência, Artesp anuncia duplicação da Mogi-Bertioga e pedágio na Mogi-Dutra

CIDADE PRIORIDADE
Na última segunda-feira (21), a Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) promoveu, em Mogi das Cruzes, a primeira de uma série de quatro audiências públicas para discutir sobre a concessão do Lote Rodovias do Litoral Paulista.

Na reunião, realizada no Centro Educacional Brazcubas, foi anunciada a duplicação de um trecho da Mogi-Bertioga (SP 098) e a instalação de um novo pedágio na Mogi-Dutra (Rodovia Pedro Eroles ou SP 088), dentre outras novidades.

Mogi-Bertioga

A concessão será do trecho entre Arujá e Bertioga da SP-88 e SP-98. Entre as principais obras estão previstas a adequação de 6,4 quilômetros do trecho de Mogi da Mogi-Bertioga, implantação de 22,3 quilômetros de acostamento entre Biritiba-Mirim e Bertioga, rampas de escape no trecho de serra e nova ponte sobre o Rio Guacá. A Estrada do Evangelho Pleno será duplicada.

No segmento da Rota do Sol serão construídas dez passarelas, com o objetivo de oferecer maior segurança para os pedestres. Serão implantadas, ainda, oito novas pontes e viadutos, além de cinco novos acessos e retornos.

Mogi-Dutra

A Rodovia Pedro Eroles deverá ser beneficiada por um pacote de obras que, segundo a Artesp, irá melhorar os acessos ao Porto de Santos pela SP-55 para quem vem pela Rodovia Régis Bittencourt (BR-116) e também para quem chega utilizando a SP-88 e a Mogi-Dutra. De acordo com a autarquia, também deverá impactar positivamente os deslocamentos urbanos tanto de munícipes de Mogi, quanto das cidades do litoral onde os trechos rodoviários são urbanizados. 

Ao todo, o lote contempla 240 quilômetros de rodovias que atravessam 13 municípios: Miracatu, Pedro de Toledo, Itariri, Peruíbe, Itanhaém, Mongaguá, Praia Grande, Santos, Bertioga, Biritiba-Mirim, Mogi das Cruzes, Itaquaquecetuba e Arujá.

Um dos pontos que gerou polêmica com os mogianos que acompanharam a audiência foi com relação à instalação de um pedágio na rodovia, anunciada pelo diretor-geral da Artesp, Giovanni Pengue Filho. Segundo ele, a previsão inicial era criar a praça tarifária na Mogi-Bertioga, no entanto, com o objetivo de tornar a tarifa menor, a proposta foi alterada para a Mogi-Dutra. Se ela avançar, o pedágio deve ficar no km 45, próximo à Casa do Queijo.

A Artesp diz que haverá desconto de 5% para os usuários que utilizarem o pagamento automático. Além disso, haverá desconto progressivo, que irá beneficiar os motoristas que utilizam o trecho rodoviário com mais frequência, principalmente moradores de pequenas cidades que usam as rodovias quase que diariamente para acessar a rede de comércio e serviços de municípios vizinhos. Serão beneficiados, ainda, os usuários de veículos da categoria 1 – carros de passeio e veículos urbanos de carga. Também há possibilidade de implantação do Sistema Ponto a Ponto de pagamento por trecho percorrido e de tarifa flexível com valores diferenciados por horário ou dias de semana, por exemplo.


Benefícios

Ao todo estão previstos 89,8 quilômetros de duplicações e 108,5 quilômetros de vias marginais, além de novos dispositivos de acesso e retorno, implantação de acostamentos, passarelas e 35,6 quilômetros de ciclovias, entre outras obras. Para isto, devem ser gastos R$ 3 bilhões em investimentos em obras, além de R$ 2,8 bilhões para a operação e implantação de serviços em trechos das rodovias.

O pacote de obras, segundo a Artesp, tem como foco a segurança viária dos munícipes, turistas e caminhoneiros que utilizam essa malha viária, além do desenvolvimento regional.

A concessionária informa que equipará as rodovias com Wi-fi dedicado (rede de dados sem fio) a fim de levar aos usuários informações, por exemplo, sobre a situação do trânsito, além de possibilitar o acionamento de socorro médico e mecânico. As rodovias serão totalmente monitoradas por câmeras inteligentes e haverá sistema de monitoramento de tráfego com coleta de dados referentes a volume, velocidade e peso do veículo. Em termos de sustentabilidade, a malha será “Carbono Zero”, ou seja, haverá compensações das emissões de gás carbônico decorrentes dos serviços de operação.

Os benefícios regionais vão além das obras, afirma a Artesp, complementando que devem ser considerados a geração de empregos diretos e indiretos, além de receita para os municípios, inclusive por meio do repasse do ISS-QN (Imposto Sobre Serviço).

Licitação

A concorrência se dará pela maior outorga proposta, explica a autarquia. Poderão participar empresas brasileiras e estrangeiras – isoladas ou em consórcio. A exemplo dos últimos leilões, será permitida a sub-qualificação técnica, deixando a licitação mais focada em comprovação de sua condição para administrar ativos de infraestrutura. 

A inscrição para participar das audiências públicas pode ser feita no site da Artesp.

Outras audiências da Artesp

As demais audiências da Artesp ocorrerão em Itanhaém (dia 23/10), Bertioga (dia 24/10) e em São Paulo (dia 25/10).

Confira mais detalhes abaixo:

Entre em nossos Grupos de WhatsApp e fique por dentro de tudo o que acontece em Mogi das Cruzes e região


6 comentários em “Em audiência, Artesp anuncia duplicação da Mogi-Bertioga e pedágio na Mogi-Dutra

  1. Mogi precisa de intervenção do Governo..Federal
    Cidade ficou cheia de corrupts blits nao e para pegar bandido e pra cumprir meta de multas esses bandidos tem ..ai a mafia dos patios de apreensao mafia de radares móveis mafia de blitz Polícia ao tem bandido pra pegar ai quer multar o povo trabalha e tem um bem qie. Ao pertence a prefeitura muito menos a corja dos policiais Militares
    Quem deveria ser multados saoeles nao respeitam leis

  2. Muitas pessoas que moram em Mogi trabalham em SP e pegam diariamente a Mogi-Dutra, seja sentido a Dutra ou Ayrton Senna, até entendi que haverá um desconto mas, já pagamos pedágio para entrar e sair de São Paulo e agora pagar para entrar e sair da nossa cidade também?

    Colocar um pedágio no km 45 ali na casa do queijo, não é solução, até porque esse trecho da rodovia não fica tão congestionado assim como os trechos mais a frente que liga realmente sentido Bertioga, exemplo próximo ali do Biritiba-Ussu.

  3. Mais uma vez o povo pagando mais e mais, estranho não vejo ninguem falar em mudar leis para criminosos, ou reduzir valores pagos a familia de criminosos, ao meu ver marginal tem mais valor que trabalhador, reduzir valores investidos em cargos publicos tambem não, estranho só quem contribui tem que contribuir mais ….

  4. Acho muito importante a construção dos acostamentos entre Biritiba Mirim e Bertioga, assim como as rampas de escape no trecho de serra.
    Quanto a duplicação, deve resolver o trânsito nos feriados assim que a Rio – Santos tambem for duplicada, o que aliás, faz parte do projeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *