BRASIL

Em vez de prorrogar auxílio emergencial, governo deve ampliar o Bolsa Família; entenda

Embora um estudo do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) tenha apontado que mais de 4 milhões de famílias brasileiras têm sobrevivido apenas com o auxílio emergencial, o benefício não deve ser prorrogado em 2021.

O governo federal já informou que a intenção é manter o encerramento do auxílio, que teve seus últimos pagamentos feitos em dezembro e ainda conta com algumas liberações de saque neste início de ano. Por outro lado, o Bolsa Família, programa nacional de renda básica, deve ser ampliado.

Uma medida provisória discutida entre o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, avalia a inclusão de mais 300 mil famílias no Bolsa Família – um salto de 14,2 milhões para 14,5 milhões atendimentos. As informações são do jornal Correio Braziliense.

Atualmente, há mais de 1 milhão de famílias brasileiras na fila de espera para o Bolsa Família.

O valor do benefício, por sua vez, que está em R$ 190, deve passar para R$ 200 ao mês.

O governo prevê um orçamento de R$ 34,8 bilhões para reestruturar o Bolsa Família, destinado ao programa pelo Projeto de Lei Orçamentária Anual (Ploa).

Entre em nosso Grupo no Facebook e confira as últimas notícias sobre o auxílio emergencial, Bolsa Família e outros benefícios sociais

Leia também:

[pt_view id=”de2566brj6″]

Essa notícia foi atualizada em 11 de janeiro de 2021 16:39

Compartilhar
Leandro Cesaroni

Jornalista graduado pela FIAM e pós-graduado em jornalismo cultural pela FAAP. Possui mais de 10 anos de experiência em jornalismo online