Após protestos, Prefeitura diz que está monitorando áreas atingidas pela chuva

CIDADE PRIORIDADE

Para muitos mogianos, a chuva da madrugada desta segunda-feira (11) não apresentou grandes ameaças. Já para os moradores do Oropó, em Mogi das Cruzes, a noite foi longa e parece não ter terminado até agora. Isto porque nas últimas 24 horas choveu na região mais da metade do que era aguardado para o mês inteiro de março. O aguaceiro fez a Represa Jundiaí transbordar, o que acabou alagando casas e destruindo carros e móveis.

“Estamos presos, esperando a água baixar para tentar limpar nossas casas, depois de perder quase todos os móveis”, avisou nossa reportagem a leitora Tatiana, completando ainda que a água estava muito turva e cheia de cobras.

O Oropó é uma região de Mogi muito próxima ao Jardim Aeroporto e Jardim Santos Dumont. Por beirar o Rio Jundiaí, toda essa área foi afetada quando, na madrugada desta segunda, a represa atingiu sua cota emergencial e veio a transbordar, avançando para as casas.

Dados da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) mostram que, no momento, a represa está atuando com 102,5% de sua capacidade, o que comprova que ainda há transbordamento em alguns trechos.

Indignados com o fato de terem seus imóveis invadidos pela água, alguns moradores se juntaram em uma manifestação que interditou a via que dá acesso ao Conjunto Oropó. Eles colocaram fogo em barricadas de pneus na avenida, impedindo a passagem de carros, ônibus e caminhões.

Barricadas interditam ponte no Oropó

Em pouco tempo policiais militares chegaram ao local e desfizeram as barricadas, desobstruindo o trânsito.

Os moradores protestavam contra a falta de informações e auxílio por parte da Prefeitura.

Em resposta, a Prefeitura divulgou nota agora à tarde informando que “a Operação Verão, realizada pela Prefeitura de Mogi das Cruzes, está, desde o início das chuvas, monitorando as áreas consideradas de risco e os locais de onde foram registrados chamados para a Defesa Civil”.

A Prefeitura ainda se colocou à disposição para auxiliar as famílias que tiveram suas casas alagadas. “Por determinação do prefeito Marcus Melo, escolas das regiões atingidas estão de prontidão para receber famílias que necessitem de abrigo. Equipes da Secretaria Municipal de Assistência Social estão em todos os locais para o atedimento aos moradores, cadastramento e, quando necessário fornecimento de cestas básicas e colchões”, diz a nota.

Além do Oropó, Jardim Aeroporto e Jardim Santos Dumont, o auxílio, segundo a Prefeitura, também abrange o distrito de Jundiapeba.

Falta de água

Devido à chuva, o abastecimento de água em algumas regiões da cidade foi interrompido. A Prefeitura citou os motivos: “No Jardim Boa Vista (Biritiba Ussú), a enxurrada causou dano na rede de distribuição. Já em Taiaçupeba, após queda de energia, uma das bombas travou. A outra bomba está funcionando, mas o reservatório ficou vazio. No Parque Varinhas, peça de uma bomba queimou devido à tempestade, também provocando esvaziamento do reservatório”.

Ainda segundo a administração municipal, o Semae está tomando as providências necessárias para minimizar os problemas, como reparos na rede e manobras no sistema de distribuição. O abastecimento deve ser normalizado na noite desta segunda-feira (11) ou na madrugada de terça (12), quando os reservatórios devem atingir o nível necessário para fornecimento de água constante.

Veja a situação dos bairros Oropó e Jardim Aeroporto após a chuva da última madrugada:

Vote no Notícias de Mogi para o prêmio de Melhor Portal de Notícias do Alto Tietê


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *