MOGI DAS CRUZES

Em visita à UMC, secretário estadual de saúde elogia combate à Covid-19 em Mogi

O secretário estadual de saúde, Jean Gorinchteyn, esteve, na noite desta terça-feira (10), na Universidade de Mogi das Cruzes (UMC), onde é professor licenciado. Ele concedeu uma coletiva de imprensa para informar detalhes sobre o enfrentamento à pandemia de Covid-19 no estado e, depois, conversou com alunos da instituição.

Questionado sobre o enfrentamento do coronavírus em Mogi, Gorinchteyn avaliou como positivas as medidas adotadas pela Prefeitura desde o início da pandemia e elogiou a atuação do ex-secretário municipal de saúde, Henrique Naufel, de quem é amigo. Segundo ele, se não fosse o trabalho desenvolvido pela administração municipal, sob a liderança do então secretário Naufel, Mogi das Cruzes poderia ter tido um número muito maior de mortos.

Antes de se tornar secretário estadual, Gorinchteyn colaborou com a elaboração do Plano de Contingência contra a Covid-19 em Mogi das Cruzes, a convite do próprio Naufel, conforme contou ele ontem na coletiva.

Vacinação

O secretário estadual de saúde afirmou também que o início da vacinação de adolescentes está mantido para o dia 18, apesar do governo federal ter atrasado a entrega de 228 mil doses da Pfizer, o único imunizante liberado para aplicação em adolescentes até o momento. “O Dia da Esperança será agora, no dia 16, quando, ao menos com uma dose, o nosso público adulto, acima de 18 anos, terá sido imunizado. A estratégia programada para o dia 18 é de imunização de adolescentes, de 12 a 17 anos e 11 meses, dando, neste primeira fase, atenção aos portadores de comorbidades”.

“Com relação às 228 mil doses da Pfizer, nós ainda estamos em tratativas, mas amanhã teremos maiores revelações na coletiva de imprensa que acontecerá no Palácio dos Bandeirantes às 12h45 na presença do governador João Doria”, acrescentou Gorinchteyn.

O secretário explicou que, assim como todas as outras, a imunização contra a Covid-19 não é compulsória, mas é obrigatória. “Todas as vacinas do Plano Nacional de Imunização são obrigatórias e não compulsórias. As vacinas não prendem o indivíduo que deixa de tomar, mas seguramente alguns documentos ou viagens deixam de ser feitos em relação ao fato de as pessoas não terem sido devidamente imunizadas”, disse ele, utilizando como exemplo a vacina contra a febre amarela, que também é exigida para entrada em alguns países.

Cirurgias eletivas

O secretário falou também sobre a retomada das cirurgias eletivas nos hospitais estaduais. “Nós pedimos para as pessoas ficarem em casa e elas assim fizeram, e pioraram sua condição de saúde, então, nós precisamos retomar. Estaremos retomando, a partir de setembro, uma série de procedimentos especialmente na área da oncologia, com corujões que serão realizados. A partir de outubro terá início a estratégia das cirurgias eletivas”, explicou ele, acrescentando que o Hospital das Clínicas de Suzano poderá ser aberto para acolher pacientes de toda a região do Alto Tietê.

O evento na UMC contou a presença do prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi; do secretário municipal de saúde de Suzano, Pedro Ishi; do presidente da Câmara de Mogi das Cruzes, vereador Otto Rezende; do deputado estadual Rodrigo Gambale; e do secretário municipal de Saúde de Ferraz de Vasconcelos, Clécio Gonçalves; além do ex-secretário e coordenador de Medicina da UMC, Dr. Henrique Naufel, e a Reitora da UMC, Regina Melo.

Essa notícia foi atualizada em 11 de outubro de 2021 11:54

Compartilhar
Tudo sobre: Governo de SPUMC

O portal Notícias de Mogi utiliza cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua navegação. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade

Leia mais