Após operação polêmica, Prefeitura de Mogi recebe ambulantes para ouvir demandas

A Prefeitura de Mogi das Cruzes informou que, nesta segunda-feira (3), representantes do Departamento de Fiscalização de Posturas da Secretaria Municipal de Segurança e da Guarda Municipal receberam uma comissão de vendedores ambulantes da cidade para ouvir demandas e discutir medidas que possam ser adotadas para permitir o trabalho da categoria.

A reunião foi marcada após a repercussão negativa gerada, na última sexta (30), por uma operação do Departamento de Fiscalização de Posturas na região central de Mogi. Ao abordar uma vendedora de caqui, a equipe teve que lidar com a indignação de um grupo de cerca de 20 pessoas, que não concordou com a ação.

A administração municipal disse que solicitou aos ambulantes um levantamento sobre o número de pessoas que trabalham em Mogi das Cruzes e que não possuem regularização. “A ideia é traçar um perfil destes profissionais, com os produtos que eles comercializam e o tempo que atuam nas ruas”, informou a Prefeitura.

Atualmente, a cidade possui 225 licenças disponibilizadas para empreendedores de rua, mas apenas cerca de 190 estão ativas. “Desde o início desta gestão, as Secretarias Municipais de Segurança e de Desenvolvimento Econômico vêm estudando uma ampliação no número de vagas na cidade, para recompor o número de trabalhadores do setor. As pastas também estão desenvolvendo um estudo do decreto que regulamenta o exercício do comércio ambulante para adequar e buscar mais melhorias para a categoria, inclusive com a possibilidade de abertura de novas vagas”, afirmou a administração municipal.

Uma nova reunião entre os representantes da Prefeitura e dos ambulantes foi marcada para o início da segunda quinzena deste mês.

Essa notícia foi atualizada em 3 de maio de 2021 20:26

Compartilhar

O portal Notícias de Mogi utiliza cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua navegação. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade

Leia mais