SHPP de Mogi esclarece desaparecimento de Nataly Lili; quatro suspeitos são procurados

O Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) de Mogi das Cruzes esclareceu o caso que resultou no desaparecimento da mulher transexual Nataly Lili em dezembro do ano passado. Quatro suspeitos tiveram a prisão decretada pela Justiça e estão sendo procurados pela polícia.

Os indiciados são Danilo Nascimento Batista, vulgo “Cocão”; Caio Cleiton Rodrigues Silva, vulgo “Branquinho”; Carlos Renato Rodrigues Silva, vulgo “Gó”; e Vanessa Silva Vieira.

De acordo com a investigação conduzida pelo delegado Rubens José Angelo, o crime aconteceu na madrugada do dia 13 de dezembro, quando Nataly e uma amiga aceitaram fazer programa com um casal que as levou para um terreno na Avenida das Orquídeas, na Vila São Francisco, em Mogi das Cruzes.

Segundo o SHPP, chegando no local, dois indivíduos já estavam aguardando o grupo e começaram a efetuar disparos de arma de fogo contra as transexuais, que caíram ao chão desacordadas.

Momentos depois, a amiga de Nataly recuperou a consciência e conseguiu pedir socorro, sendo encaminhada pelo Samu ao Hospital Luzia de Pinho Melo. Segundo ela, Nataly não estava mais no local e possivelmente foi sequestrada, morta e enterrada.

A investigação aponta que o crime aconteceu depois que um irmão de Vanessa fez programa com Nataly e não pagou o que devia, motivo pelo qual ela teria agredido fisicamente o indivíduo.

Ainda de acordo com o SHPP, com intenção de se vingar das agressões sofridas pelo irmão, Vanessa pediu para Danilo, Caio e Carlos matarem Nataly, que se encontra desaparecida desde então.


Veja também:

O portal Notícias de Mogi utiliza cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua navegação. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade

Leia mais