Em Mogi, mais de 10 mil alunos farão a segunda prova do ENEM neste domingo (10)

Acontece, neste domingo (10), em todo o país, a aplicação da segunda prova do ENEM 2019 (Exame Nacional do Ensino Médio), porta de entrada para as principais universidades do país, além de ser intermediador de concessões de bolsas de estudo do ProUni, de financiamentos do FIES e até de certificados de conclusão do ensino médio.

Em Mogi das Cruzes, mais de 10 mil alunos farão a prova de matemática e ciências da natureza. Os portões serão abertos 12h e fechados às 13h, no horário de Brasília. As provas começam a ser aplicadas às 13h30 e vão até as 18h30.

A matemática, matéria que muitas vezes desperta temor nos alunos, foi tema de ação na Escola Estadual Professora Irene Caporali de Souza, em Mogi das Cruzes. A unidade desenvolve, desde o início do semestre, o projeto Alicerce Matemático. Os alunos das terceiras séries do Ensino Médio recebem provas que mesclam o conteúdo do Enem e do currículo do Estado. Depois da tabulação dos resultados, há um trabalho focado nas competências e habilidades que não foram atingidas.

A primeira prova, de redação, linguagens e ciências humanas, foi realizada no dia 2 de novembro. O tema da redação foi “Democratização do acesso ao cinema no Brasil”.

Local de prova

O cartão de confirmação com os locais de prova do ENEM 2019 podem ser consultados no site do INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira). Para acessá-lo, o participante precisa informar a senha cadastrada no ato da inscrição.

Os estudantes poderão conferir, no cartão, o número da sala onde farão o exame; a opção de língua estrangeira feita durante a inscrição; e o tipo de atendimento específico e especializado com recursos de acessibilidade, caso tenham sido solicitados e aprovados; entre outras informações.

A declaração de comparecimento do segundo dia do exame também já está disponível. Ela precisa ser impressa e levada para a avaliação, quando será assinada pelo coordenador de local de prova.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) reforça que os candidatos que perderam a primeira prova não devem desistir do exame. Mesmo que a nota final esteja comprometida, participar desta etapa vai funcionar como uma experiência para aplicações futuras.

Estatísticas de inscrições

No Alto Tietê, o ENEM 2019 registrou 15% menos candidatos que no ano passado. De acordo com dados do Inep, este ano, 34.215 estudantes se inscreveram para o exame nas cidades da região, ante 40.422 inscritos em 2018.

O município do Alto Tietê com o maior número de candidatos é Mogi das Cruzes, com 10.648, o que representa 1,3% do total no país; seguido por Suzano, com 6.658; Itaquaquecetuba, com 5.528; Ferraz de Vasconcelos, com 4.291; Poá, com 3.044; Arujá, com 2.724; e Santa Isabel, com 1.322. Vale lembrar que não está havendo aplicação do Enem em Biritiba Mirim, Guararema e Salesópolis.

Os dados divulgados indicam ainda que, de acordo com a média nacional, 59% dos candidatos são do sexo feminino e 41% do sexo masculino. As faixas etárias com mais inscritos são 17 anos (27%), de 21 a 30 (20,3%) e 18 anos (16,6%).

Do total de candidatos, 53% já concluiu o ensino médio, 36% está cursando o último ano do nível, 12% está cursando o ensino médio mas não concluirá em 2019 e 0,3% não está nem cursando o ensino médio. Lembrando que as duas últimas situações enquadram os estudantes como “treineiros”, uma vez que o exame é válido apenas para quem já concluiu o nível médio ou está para concluir.

O que cai no Enem?

LINGUAGENS

  • Português – Semântica; funções de linguagem; gramática; interpretação e compreensão de texto; norma culta e coloquial; morfologia; sintaxe; linguística; e gêneros textuais.
  • Literatura – Movimentos literários (barroco, modernismo, naturalismo, dentre outros); figuras de linguagem; obras literárias (especialmente as obras brasileiras); poesias concretas; e literatura contemporânea.
  • Artes e educação física – Obras artísticas; renascimento; cubismo; artes marciais; surrealismo; música; grafite; esportes; movimentos culturais; e movimentos artísticos.

CIÊNCIAS HUMANAS

  • História geral – Revolução industrial; idade média e moderna; liberalismo; primeira guerra mundial; segunda guerra mundial; nazismo; facismo; e guerra fria.
  • História do Brasil – Brasil colônia; república; era Vargas; era populista; escravidão; e ditadura militar.
  • Geografia – Planos e blocos econômicos; geopolítica mundial; agricultura brasileira; contrastes sociais; desenvolvimento humano e social; migrações; e impactos no meio ambiente.
  • Filosofia / Sociologia – Iluminismo; consequências da globalização; existencialismo; contratualismo; marxismo; cultura de massa; relações de trabalho; movimentos sociais; e pensadores da Grécia antiga.

CIÊNCIAS DA NATUREZA

  • Física – Usinas e instalações residenciais; óptica; ondas; hidrostática; eletricidade; calorimetria; mecânica; e acústica.
  • Química – Estequiometria; unidades de concentração; pH e pOH; radioatividade; cadeias carbônicas; eletroquímica; soluções; e oxidação.
  • Biologia – Problemas ambientais; ecologia e sustentabilidade; imunização; problemas ambientais; evolução; ciclos do carbono, nitrogênio e água; genética e mutações; e citologia.

MATEMÁTICA

  • Operações com frações; análise combinatória; porcentagem; matemática básica; análise de gráficos; análise de tabelas; estatística básica; e progressões (PA e PG).

Sobre o Enem

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi criado para avaliar o desempenho escolar e acadêmico ao final do ensino médio. Os resultados podem: possibilitar a constituição de parâmetros para a autoavaliação do participante, visando a continuidade de sua formação e a sua inserção no mercado de trabalho; permitir a criação de referência nacional para o aperfeiçoamento dos currículos do ensino médio; ser usados como mecanismo único, alternativo ou complementar para acesso do à educação superior, especialmente, a ofertada pelas instituições federais de educação superior; permitir o acesso do participante a programas governamentais de financiamento ou apoio ao estudante da educação superior; ser utilizados como instrumento de seleção para ingresso nos diferentes setores do mundo do trabalho; e viabilizar o desenvolvimento de estudos e indicadores sobre a educação brasileira.

Qualquer pessoa pode fazer o Enem. Entretanto, o uso dos resultados é diferente para cada público. Os resultados só podem ser usados para acesso à educação superior e aos programas governamentais de financiamento ou apoio ao estudante nessa etapa de ensino por participantes com mais de 18 anos no primeiro dia de aplicação do exame e que tenham concluído o ensino médio em ano anterior ao da edição do exame.

Os resultados das provas do Enem poderão ser usados em processos seletivos para vagas no ensino superior público, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para bolsas de estudo em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para obter financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Veja também:


Gostou do conteúdo? Ele é e sempre será 100% aberto e gratuito, no entanto, se considerá-lo importante e necessário, você pode apoiar nosso trabalho fazendo uma doação

O portal Notícias de Mogi utiliza cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua navegação. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade

Leia mais