Prefeitura de Mogi das Cruzes destina R$ 430 mil a projetos culturais

CIDADE

O prefeito de Mogi das Cruzes, Marcus Melo, assinou, na tarde de quinta-feira (15), o termo de posse dos membros do Conselho Municipal de Cultura para a gestão 2019/2021 e também 24 termos de financiamento do Programa de Fomento à Arte e Cultura de Mogi das Cruzes (PROFAC), que representam R$ 430 mil de recursos públicos investidos em projetos culturais, de nove diferentes segmentos.

Os 24 projetos aprovados para 2019 são das áreas de artes cênicas, dança, artes visuais, cinema, vídeo e multimeios, transversalidade cultural, literatura e publicações, mostras e festivais e patrimônio histórico e cultural. Segundo a Prefeitura, o PROFAC também contemplou territórios culturais e lançou editais e específicos, visando selecionar entidades para a organização de eventos que fazem parte da agenda cultural do município, como a 10ª Mostra de Teatro de Mogi das Cruzes e a 5ª Semana de Danças Urbanas.

Veja a listagem dos projetos contemplados pelo PROFAC

“O PROFAC é um instrumento criado para disponibilizar recursos para quem quer promover arte e cultura na nossa cidade”, disse o prefeito Marcus Melo, completando: “Mogi já tem uma cultura de destaque. Quando pensamos, por exemplo, no nosso projeto de musicalização, que atende 11 mil crianças e jovens da cidade, constatamos que temos um diferencial, mas ainda assim nossa vontade é sempre evoluir e reafirmo aqui meu compromisso de continuar incentivando e investindo na cultura”.

Criado em 2016 e regulamentado em 2017, o PROFAC aprovou, em seu primeiro ano, 11 projetos, que geraram a transferência de R$ 190 mil. Em 2018, seu segundo ano, foram 6 projetos aprovados e R$ 200 mil transferidos. Já em 2019, são 24 projetos aprovados e R$ 430 mil transferidos até o momento. Desde que foi criado, o projeto já contemplou 41 projetos, com um total de R$ 820 mil.

“O PROFAC vem crescendo bastante e neste ano estamos com praticamente o dobro do aporte de anos anteriores. Um das ações mais importantes que temos é o apoio e o fomento aos territórios culturais da cidade, pois sabemos como é difícil manter em funcionamento um espaço independente de cultura”, disse o secretário municipal de Cultura e Turismo, Mateus Sartori, que citou os nomes de alguns espaços já contemplados, como a Escola de Artes AJPS, o Galpão Arthur Netto, o Casarão do Mariquinha e, atualmente, locais como Missão Identidade e Casarão do Chá.

Vote no Notícias de Mogi para o prêmio de Melhor Portal de Notícias do Alto Tietê


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *