Maternidade Municipal de Mogi levará nome do ex-prefeito Padre Melo

A Câmara Municipal de Mogi das Cruzes aprovou, na sessão ordinária desta quarta-feira (16), o Projeto de Lei 90/2020, de autoria do Executivo, que cria e denomina a Maternidade Municipal de Mogi das Cruzes – Prefeito Manoel Bezerra de Melo. O equipamento público funcionará na Rua Francisco Afonso de Melo, no distrito de Braz Cubas.

De acordo com o projeto, será a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, que dotará a Maternidade com os recursos humanos e materiais para o funcionamento.

O vereador Francimário Vieira Farofa (PL) fez o uso da tribuna para agradecer aos vereadores pela aprovação da proposta. Farofa também falou da homenagem póstuma ao ex-prefeito Padre Melo: “contribuiu para o crescimento da cidade. Fico muito feliz por todos os vereadores terem votado. É uma grande alegria conseguir isso”.

Padre Melo

Manoel Bezerra de Melo nasceu em Crateús, no Ceará. Sacerdote da Igreja Católica, chegou em Mogi das Cruzes aos 36 anos e passou a atuar como padre na Matriz de Santana. Em paralelo, ministrava aulas no Instituto de Educação Dr. Washington Luiz. Dois meses após sua chegada, fundou a Organização Mogiana de Educação e Cultura (OMEC), que, a partir de 1973, passou a se chamar Universidade de Mogi das Cruzes (UMC).

Em 1966, Padre Melo ingressou na política, candidatando-se a deputado federal por São Paulo. Seu partido era a Aliança Renovadora Nacional (ARENA). No congresso, propôs a lei do divórcio. Em 1971, com autorização papal, conseguiu liberar-se dos votos como padre e casou-se com a professora cearense Maria Coeli, com quem teve uma filha, Regina Coeli Bezerra de Melo.

Filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) no fim da década de 1980 e, em 1993, foi eleito vice-prefeito de Mogi na chapa de Francisco Ribeiro Nogueira. Após a morte do titular em 1994, Padre Melo assumiu o cargo de prefeito. Dentre seus principais feitos, estão a construção do Ginásio Municipal de Esportes Professor Hugo Ramos e da Passagem Subterrânea Engenheiro Osvaldo Crespo de Abreu, no Mogilar.

Em 2000, Melo apoiou a candidatura de Junji Abe e, em 2008, a de Marco Bertaiolli. Ele faleceu em 9 de junho de 2020 em decorrência de problemas cardíacos.

Câmara de Mogi das Cruzes

Sobre a Maternidade Municipal

Localizado no distrito de Braz Cubas, no terreno que abrigou o antigo fórum distrital, o prédio terá oito mil metros quadrados de área total, sete pavimentos e um investimento de R$ 35 milhões. A previsão é de que obra seja concluída até abril de 2022.

Com sete pavimentos, a Maternidade Municipal disponibilizará 89 vagas, das quais 54 leitos para mulheres, além de 10 leitos de UTI Neonatal, 10 leitos de cuidados intermediários e UTI Adulto, entre outros espaços especializados. A capacidade estimada é de 500 partos por mês.

O projeto foi elaborado pela Secretaria Municipal de Planejamento e Urbanismo em parceria com técnicos da Saúde. A unidade contará com leitos para gestantes, puérperas, leitos especializados no sistema canguru, leitos para gestantes de alto risco, além de quartos para atendimento antes e depois do parto.

“A nova Maternidade Municipal é uma das principais obras da atual administração e sua construção está ocorrendo dentro do previsto. Teremos um espaço planejado para dar toda a atenção necessária às mães mogianas, incluindo uma ótima estrutura e profissionais preparados”, disse o prefeito Marcus Melo em visita às obras em maio deste ano.

Atualmente, Mogi das Cruzes conta apenas com a Santa Casa para a realização de partos pelo sistema público. A entidade, no entanto, vem enfrentando constantes problemas de superlotação.

O portal Notícias de Mogi utiliza cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua navegação. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade

Leia mais