Com 99% da capacidade, represas do Alto Tietê correm risco de transbordar

ALTO TIETÊ PRIORIDADE

O mês de fevereiro foi um dos mais chuvosos dos últimos anos no Estado de São Paulo, segundo o INMET (Instituto Nacional de Meteorologia), sendo que a capital e a região metropolitana foram as mais afetadas, o que inclui as cidades do Alto Tietê. Com a chuva acima da média, o volume de água nas represas naturalmente aumentou e, em alguns casos, está bem próximo da capacidade máxima.

De acordo com dados atualizados pela Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) nesta quarta-feira (4), a situação mais crítica é nas represas Paraitinga e Ponte Nova, ambas em Salesópolis, que no momento operam respectivamente com 99,72% e 99,28% de suas capacidades, chegando bem próximas de uma situação de transbordamento.

Em Mogi das Cruzes, a Represa Taiaçupeba, que fica no Rio Taiaçupeba e foi criada com o intuito de escoar a água do Rio Tietê, alcançou 90,29% de sua capacidade e também já se encontra em estado de atenção.

Já nas represas Jundiaí e Biritiba, com respectivamente 78,86% e 34,18% de suas capacidades, a situação está mais controlada.

Monitoramento

Com o aumento da vazão de água da barragem de Ponte Nova, em Salesópolis, a Coordenadoria de Defesa Civil de Mogi das Cruzes informou que está monitorando o nível do rio Tietê na cidade. O trabalho é feito em contato direto com o Departamento Águas e Energia Elétrica (DAEE), responsável pela gestão do rio e das represas.

Segundo a administração municipal, o contato constante entre os órgãos foi uma solicitação do prefeito Marcus Melo antes do período de chuvas e faz parte dos trabalhos da Operação Verão, que reúne diversas secretarias municipais e órgãos que atuam no atendimento de emergências relativas às chuvas do início de ano.

Com as chuvas dos últimos dias, a vazão da represa foi ampliada de cerca de 3 metros cúbicos por segundo para cerca de 5 metros cúbicos por segundo, com uma manobra de segurança. A estrutura não tem comportas e a liberação de água é feita por descarga de fundo, com controle da vazão.

Em Mogi das Cruzes, a maior vazão de água deverá impactar em um aumento no nível do rio Tietê. Na manhã desta quarta-feira (4), o curso d’água estava 3,08 metros.

“A Defesa Civil realiza o monitoramento contínuo do nível do rio Tietê, com os dados da régua de medição e vistorias nos pontos em que ele passa pela cidade. Os moradores das áreas próximas ao rio também devem ficar atentos e a qualquer situação atípica entrar em contato com a Defesa Civil, pelo telefone 199”, explicou o diretor da Defesa Civil, Walter Melo.

Nesta quarta-feira, representantes da Defesa Civil de Guarulhos estiveram em Mogi das Cruzes e acompanharam o monitoramento do rio Tietê que é feito na cidade. Eles também foram até a barragem de Ponte Nova para visitar a estrutura.

Previsão do tempo

Apesar de três das seis represas do Alto Tietê estarem operando acima dos 90% da capacidade, o fato de não haver previsão de chuva forte na região nos próximos dias torna a situação um pouco menos grave.

De acordo com o Climatempo, site especializado em previsões meteorológicas, Mogi das Cruzes, por exemplo, deve ter chuva de 1mm nesta quinta (5), 1mm na sexta (6) e 5mm no sábado (7). Já no domingo (8) não há probabilidade de chover.

Entre em nossos Grupos de WhatsApp ou em nosso Canal no Telegram e fique por dentro de tudo o que acontece em Mogi das Cruzes e região


Deixe um comentário:
Os comentários não representam a opinião do Notícias de Mogi e são de responsabilidade do autor da mensagem. Conteúdos com palavrões serão excluídos.

Veja também:

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *