ALTO TIETÊ

Unidades prisionais do Alto Tietê contabilizam 28 mil mensagens trocadas na pandemia

Desde o final de junho, o projeto “Conexão Familiar” tem ajudado a minimizar a distância entre familiares e custodiados nas 176 unidades prisionais do Estado. De acordo com a Secretaria de Administração Pública de São Paulo (SAP-SP), em quase dois meses, foram mais de 1 milhão de mensagens trocadas –  580.142 recebidas e 505.080 enviadas –, além de 51.062 visitas virtuais realizadas nos presídios.  

Nas duas unidades prisionais do Alto TietêCDP de Mogi das Cruzes e CDP de Suzano -, foram contabilizadas 28.837 mensagens trocadas – 15.334 recebidas e 13.503 enviadas –, além de 1.037 visitas virtuais.  

A primeira etapa do projeto possibilitou que visitantes pudessem mandar mensagens por meio de um formulário disponível no site da Secretaria da Administração Penitenciária. Posteriormente, a resposta do parente preso é enviada no e-mail da pessoa. Na segunda etapa, que começou no dia 22 de julho, foi possível, ainda, agendar as videochamadas por meio de um aplicativo.  

O “Conexão Familiar” tem como meta diminuir os efeitos do isolamento com a manutenção dos laços familiares das pessoas privadas de liberdade. Para o secretário da Administração Penitenciária, Coronel Nivaldo Cesar Restivo, a iniciativa é “emergencial e temporária”, em razão das restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19). “Há um esforço coletivo dos nossos funcionários para que a nova modalidade se desenvolva da melhor forma,”, salienta.

Atualmente, existem 324 estações de teleaudiência nas unidades para que o projeto ocorra, sendo que duas ficam nas unidades do Alto Tietê. Segundo a SAP-SP, outras 20 estão sendo providenciadas.

Essa notícia foi atualizada em 24 de agosto de 2020 18:12

Compartilhar
Leandro Cesaroni

Jornalista graduado pela FIAM e pós-graduado em jornalismo cultural pela FAAP