CULTURA

Protagonismo negro é destaque na agenda de atrações do Sesc de Mogi das Cruzes

A programação do Sesc Mogi das Cruzes deste final de semana tem como destaque o protagonismo negro, através do projeto ‘Do 13 ao 20 (Re)Existência do Povo Negro’, que faz menção aos marcos de 13 de maio, data da abolição da escravatura no Brasil, e ao 20 de novembro, dia da morte de Zumbi dos Palmares e, desde 2011, instituído como Dia Nacional da Consciência Negra.

O projeto, que já está em sua 4ª edição, acontece pela primeira vez no Sesc de Mogi. Seu objetivo é reconhecer e fortalecer as lutas, conquistas, manifestações e realidades do povo negro, bem como o incentivo à equidade, convivência e reconstrução simbólica no campo individual e coletivo, contribuindo para uma sociedade livre do racismo e de outras formas de dominação.

A programação conta com apresentações de música, dança e literatura, além de oficina para as crianças. Todas elas são gratuitas e de classificação livre, sendo necessária a retirada de ingresso antecipada para algumas atividades.

Confira abaixo mais detalhes da programação do Sesc de Mogi das Cruzes:

Música

O que aprendi com a minha mãe

  • Dia 26, quinta-feira, às 20h | Duração: 90 minutos

Vidal Assis é um cantor e compositor que vem trilhando desde 2017 um caminho distinto na MPB: em seu primeiro álbum (Álbum de Retratos, de 2017) foi indicado ao Prêmio da Música Brasileira de 2017 nas categorias Melhor Cantor e Revelação, além de ter entre suas gravações, parcerias com nomes como Hermínio Bello de Carvalho, Ronaldo Bastos e Elton Medeiros.

Nesse show, o cantor e compositor aspira para um universo de diálogo com sua ancestralidade, mergulhando em uma concepção artística mais íntima e se utilizando de conceitos que estão fortemente atrelados às questões afro futuristas. O artista traçará uma correspondência entre provérbios africanos e canções próprias, proporcionando uma nova estética de comunicação entre seu passado e futuro, reconectando-se com uma cultura ancestral africana.

Dança

Yebo

  • Dia 27, sexta-feira, às 20h | Duração: 60 minutos | Lugares limitados, Distribuição de ingressos na loja Sesc a partir das 19h

Gumboot Dance (dança de botas de borracha) é uma forma de dança popular que foi criada pelos trabalhadores no século XIX nas minas de ouro e de carvão da África do Sul. Homens negros, com sua a força de trabalho explorada pelos senhores do capital, lutavam para conquistar riquezas que jamais teriam para si. Expondo suas vidas ao risco, distante de suas aldeias e famílias, diariamente cavando buracos cada vez maiores, onde ficavam enterradas suas histórias, suas memórias e suas vozes. Yebo aborda a exploração, tanto das minas, como dos sete povos levados para extração do minério. É a criação de um dialeto sonoro a partir das batidas nas botas de borracha e transformado em um alegre espetáculo percussivo em que a dança produz o som, e o som, conta as histórias dos poucos momentos de descanso e animação que esses trabalhadores tinham.
Com o grupo Gumboot Dance.

Literatura

Quantas Áfricas tem na África?

  • Dia 28, sábado, às 16h | Duração: 50 minutos

Uma experiência narrativa onde vamos percorrer o continente africano por meio de um mapa lúdico, uma viagem com histórias que nos apresentará as diferentes dimensões culturais do continente.

Com Agbalá Conta, núcleo de pesquisa e criação de narrativas pretas, fundado em 2010 por Giselda Perê, com o objetivo de dar visibilidade às histórias das ancestralidades pretas. Agbalá Conta é uma cabaça mágica que guarda todas as histórias das nossas ancestralidades pretas, quando encantada ela se abre e revela histórias que valorizam nossas identidades e nossas histórias de origem.

Crianças

Minha realeza ancestral

  • Dia 28, sábado, às 11h e às 14h30 | Duração: 60 minutos | Classificação: De 4 a 12 anos | Entrega de senhas no local com 20 minutos de antecedência

Dos reflexos das águas dos rios, mares, cachoeiras eu me vejo, vou de encontro a minha ancestralidade. Construo meu próprio espelho, no intuito de libertação dos julgamentos alheios, mas também como suporte de enxergar minha beleza, sou potência e amor, através dele encontro a minha continuidade. Qual é a sua história?
Com a Cia. Caruru

Descobrindo nossos tesouros: mulheres negras que ecoam

  • Dia 29, domingo, às 11h e às 14h30 | Duração: 60 minutos | Classificação: 4 a 12 anos | Entrega de senhas no local com 20 minutos de antecedência

Uma expedição em busca dos tesouros da cultura africana e afro-brasileira é conduzida pelas referências e histórias de mulheres negras como Ngola Nzinga, Conceição Evaristo, Carolina Maria de Jesus, nossas mães e avós, entre outras. Escavaremos as memórias, demarcando os territórios e compondo os espaços de conhecimento. Nossa maior finalidade nessa caça ao tesouro é partilhar por grandes histórias a diversidade e a desmistificação cultural do continente africano. Com a Cia. Caruru.

Serviço

  • Sesc Mogi das Cruzes
  • Endereço: Rua Rogerio Tácola, 118, Bairro do Socorro, Mogi das Cruzes, SP
  • Horário de funcionamento: De terça a sexta, das 13h às 22h ; Sábados, domingos e feriados, das 9h às 18h

Entre em nosso Grupo no Telegram e fique por dentro de tudo o que acontece em Mogi das Cruzes e região

Essa notícia foi atualizada em 26 de maio de 2022 09:06

Compartilhar
Grazielly Maciel

Estagiária em jornalismo (sob supervisão do editor)