Governo de SP adia retomada das aulas presenciais para 7 de outubro

PUBLICIDADE

O Governo do Estado de São Paulo anunciou, em pronunciamento realizado no início da tarde desta sexta-feira (7), que a retomada das aulas presenciais em SP, que estava prevista para 8 de setembro, foi adiada para o dia 7 de outubro de 2020.

De acordo com o governador João Doria, entretanto, as escolas que quiserem poderão abrir as portas a partir de 8 de setembro para aulas de reforço, recuperação e atividades opcionais. A condição é de que a região esteja há pelo menos quatro semanas na fase 3 (amarela) do Plano São Paulo.

O governo afirmou que este período de setembro até outubro, quando ocorrerá a provável retomada das aulas, deverá ser aproveitado pelas escolas que optarem pela reabertura para atividades como plantão de dúvidas, atividades esportivas, tutoria, aulas em laboratórios de informática e ciências, entre outras ações ligadas ao reforço e recuperação do que já foi ministrado. Novos conteúdos curriculares só poderão ser aplicados a partir do dia 7 de outubro.

PUBLICIDADE

“A volta gradual e responsável das atividades escolares é fundamental, principalmente para as crianças das camadas mais desfavorecidas da sociedade. O retorno é importante não somente pelo aspecto educacional, mas também pela questão social e da segurança alimentar”, afirmou Doria.

Segundo o governo estadual, como a intenção é retomar as aulas presenciais em todo o Estado ao mesmo tempo, a confirmação do retorno gradual dos alunos a partir de outubro dependerá da permanência, por pelo menos 28 dias, de ao menos 80% das regiões na fase amarela. A marca foi atingida nesta sexta-feira (7), com o avanço de algumas regiões do interior à fase amarela. Agora, para que as aulas sejam retomadas, é preciso que ela seja mantida. A intenção do governo é justamente ter a certeza de que não haverá retrocesso.

PUBLICIDADE

O retorno dos alunos às escolas terá limites de capacidade conforme as séries. Ensino Infantil e Ensino Fundamental nos seus anos iniciais estarão limitados a 35% das turmas. O Ensino Médio e os anos finais do Ensino Fundamental poderão receber somente 20% dos alunos.

De acordo com os planos anunciados inicialmente pelo governo, uma segunda etapa – ainda sem data definida – previa a liberação da presença de 70% do total de alunos em cada escola. Para isto, seria preciso que ao menos 60% das cidades permanecessem na fase 4 (verde) da quarentena por, no mínimo, 14 dias.

Na terceira etapa, tudo voltaria ao normal, com 100% da capacidade permitida. A condição para isto era que todas as regiões estivessem na fase verde.

Os protocolos específicos de retomada das aulas presenciais na rede estadual ainda não foram publicados.

*matéria atualizada às 14h39 de 7 de agosto de 2020

Confira as últimas notícias sobre a quarentena em Mogi das Cruzes e Região

Deixe um comentário

O portal Notícias de Mogi utiliza cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua navegação. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade

Leia mais