POLÍCIA

Em quatro dias, Patrulha Maria da Penha detém três homens em Mogi das Cruzes

A Patrulha Maria da Penha, da Guarda Municipal de Mogi das Cruzes, deteve, em apenas quatro dias, três homens acusados de violência doméstica ou desrespeito a medidas protetivas.

Na tarde da última quarta-feira (8), um indivíduo foi flagrado com uma faca no interior da casa da vítima, que fica na travessa Marechal Floriano Peixoto, no Centro.

Os guardas municipais foram acionados após a vítima, que é acompanhada pela Patrulha Maria da Penha, entrar em contato com a Ciemp e denunciar que o agressor estava em sua casa, com a faca e fazendo ameaças. De acordo com ela, o homem também estaria embriagado.

Chegando ao local, os agentes flagraram o homem no sofá da sala da residência, com a faca ao lado. Ele foi imobilizado e encaminhado à Delegacia da Mulher, onde a delegada registrou a ocorrência e determinou a manutenção do agressor detido, à disposição da Justiça.

Segundo a administração municipal, o homem já havia sido preso no mês de janeiro, também por violência doméstica. De acordo com a determinação da medida protetiva, ele deveria manter distância de, pelo menos, 500 metros da vítima.

Já na noite de terça-feira (7), um indivíduo foi flagrado por desrespeito à medida protetiva na avenida Kaoru Hiramatsu, na Porteira Preta.

De acordo com a Prefeitura de Mogi das Cruzes, o acusado estava no interior do condomínio onde a vítima mora, sendo que, por decisão da Justiça, ele não pode se aproximar menos de 200 metros da mulher. O caso foi registrado na Central de Flagrantes, do 1º Distrito Policial.

No domingo (5), um homem foi detido no distrito de Braz Cubas, após a Guarda Municipal receber uma denúncia. Ele foi encontrado no quarto da vítima, discutindo com a mulher. A mãe dela, que estava na residência, confirmou a agressão aos agentes.

A Prefeitura de Mogi afirma que o trabalho de acompanhamento às medidas protetivas da Patrulha Maria da Penha da Guarda Municipal foi intensificado durante o período de quarentena. Com isso, as rondas e contatos telefônicos com as mulheres acompanhadas estão sendo feitos com maior frequência.

Vale lembrar que as denúncias de casos de violência contra a mulher podem ser feitas pelo telefone 180, da Central de Atendimento à Mulher do Governo Federal. Já a Central Integrada de Emergências Públicas (Ciemp) atende pelo número 153 e funciona 24 horas por dia.

Atualmente, 482 mulheres vítimas de violência doméstica são acompanhadas pelo grupamento em Mogi das Cruzes.

Essa notícia foi atualizada em 9 de abril de 2020 12:32

Compartilhar
Leandro Cesaroni

Jornalista graduado pela FIAM e pós-graduado em jornalismo cultural pela FAAP. Possui mais de 10 anos de experiência em jornalismo online