Cidades do Alto Tietê somam 25 casos de sarampo; duas têm surto da doença

CIDADE PRIORIDADE
Com quase mil casos de sarampo em sete meses, o Estado de São Paulo vem sofrendo com o avanço do sarampo. De acordo com o Ministério da Saúde, já são 39 cidades paulistas com surto ativo da doença, sendo que duas delas estão no Alto Tietê: Mogi das Cruzes e Itaquaquecetuba.

O Alto Tietê, que até a semana passada tinha 22 casos confirmados de sarampo, registrou mais três na última sexta, subindo para 25 casos. Dos novos pacientes, dois são de Mogi e um de Ferraz de Vasconcelos.

Veja abaixo as estatísticas atualizadas de sarampo no Alto Tietê:

  • Mogi das Cruzes: 9 casos
  • Itaquaquecetuba: 9 casos
  • Arujá: 3 casos
  • Suzano: 2 casos
  • Ferraz de Vasconcelos: 2 casos

Além de Mogi das Cruzes e Itaquaquecetuba, estão na lista as cidades paulistas de Atibaia, Barueri, Caçapava, Caieiras, Campinas, Carapicuíba, Diadema, Embu, Estrela D’Oeste, Fernandópolis, Francisco Morato, Guarulhos, Hortolândia, Indaiatuba, Itapetininga, Jales, Jundiaí, Mairiporã, Mauá, Osasco, Peruíbe, Pindamonhangaba, Praia Grande, Ribeirão Pires, Ribeirão Preto, Rio Grande da Serra, Santo André, Santos, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo, Sorocaba, Sumaré, Taboão da Serra e Taubaté; além de Rio de Janeiro/RJ, Paraty/RJ, Nilópolis/RJ e Salvador/BA.


Vacina contra o sarampo

A vacina contra o sarampo está disponível em todos os postos de saúde de Mogi das Cruzes. Conhecida como tríplice viral, a vacina está prevista no Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde, e é aplicada aos 12 meses de idade, oferecendo imunização também contra rubéola e caxumba. O reforço da dose precisa ser feito aos 15 meses.

Pessoas com idade entre 15 e 29 anos estão no grupo prioritário para imunização por estarem na faixa etária considerada mais vulnerável à infecção, situação causada pela baixa procura da segunda dose ao longo dos anos. “Nossa orientação é procurar uma unidade de saúde munido da caderneta de vacinação para que o profissional possa verificar a necessidade ou não de tomar a vacina. Quem não tiver a caderneta deve ser imunizado”, disse Tereza Nihei, médica da Vigilância Epidemiológica.

A vacina de prevenção ao sarampo é contraindicada para gestantes e imunodeprimidos, como pessoas submetidas a tratamento de leucemia e pacientes oncológicos.

O sarampo é uma doença infecciosa, transmissível e extremamente contagiosa, podendo se tornar grave especialmente em crianças e adultos jovens. A transmissão ocorre de pessoa para pessoa, por meio de secreções respiratórias, e os principais sintomas são febre alta (acima de 38,5º) e manchas vermelhas pelo corpo (com início na face e atrás das orelhas), acompanhadas de sintomas respiratórios, como tosse ou coriza, ou conjuntivite.

A forma mais eficaz de prevenir o sarampo é a vacina, que faz parte do calendário de rotina. Quem tem menos de 29 anos deve ter duas doses registradas em sua caderneta – a partir dessa faixa etária, o ideal é ter pelo menos uma dose.

A Secretaria Municipal de Saúde de Mogi das Cruzes informou que está trabalhando para conter o avanço do sarampo na cidade. De acordo com a nota publicada, “em todos os casos suspeitos, as equipes realizam o bloqueio vacinal, que é a busca das pessoas que tiveram contato com o paciente, em casa, escola ou trabalho, para indicar ou realizar o reforço da vacinação”.

Veja os endereços e telefones de todos os postos de saúde de Mogi das Cruzes

Entre em nossos Grupos de WhatsApp e fique por dentro de tudo o que acontece em Mogi das Cruzes e região

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *