MOGI DAS CRUZES

Unidades de referência para Covid-19 em Mogi também atendem casos de síndrome gripal

A Secretaria Municipal de Saúde de Mogi das Cruzes informou que está intensificando as opções de atendimento aos pacientes com síndrome gripal. A partir desta segunda-feira (20), quatro unidades de referência para o novo coronavírus também estão atendendo casos de gripe sem necessidade de agendamento.

Quem apresentar sintomas mais graves de síndrome gripal pode procurar os postos de saúde Alto Ipiranga, Jardim Camila, Vila Suíssa e Ponte Grande, das 9h às 17h.

De acordo com a administração municipal, o objetivo é oferecer alternativas aos mogianos que apresentarem sinais mais agudos da doença, já que os casos leves podem ser monitorados em casa, evitando grandes aglomerações.

As UPAs – Unidades de Pronto Atendimento 24 horas do Rodeio, Oropó e Jundiapeba, o PA Jardim Universo, o PA do Hospital Municipal de Mogi das Cruzes e o Pró-Criança completam as opções de atendimento. 

“Desde a semana passada estamos observando movimento crescente nos Pronto Atendimentos em função dos casos de síndrome gripal e por isso estamos ampliando as opções de atendimento. A gripe e a Covid-19 possuem sintomas muito parecidos que precisam ser monitorados”, disse o secretário municipal de Saúde, Zeno Morrone Junior.

A alta demanda no município é reflexo do surto de gripe registrado em vários pontos do País. Para prevenir a gripe, a população deve manter os mesmos cuidados indicados para a prevenção da Covid-19, como evitar grandes aglomerações, intensificar a lavagem e higienização das mãos e manter o uso de máscara. Outras dicas são: manter os ambientes sempre muito bem arejados, aumentar o consumo regular de água e reforçar hábitos saudáveis, com o consumo regular de frutas e verduras. 

Os sintomas da gripe e do novo coronavírus são muito semelhantes, o que pode motivar maior procura às unidades por conta da preocupação com um possível agravamento. A principal orientação da Secretaria Municipal de Saúde de Mogi das Cruzes é ficar atento à evolução dos sintomas, especialmente nos primeiros cinco dias, e procurar atendimento em casos de agravamento, com atenção à febre alta.

A administração municipal afirmou que, neste momento, não há vacina da gripe disponível na cidade. Ainda que tivesse, a nova cepa em alta, identificada como H2N3 Darwin, deve ser contemplada apenas nos imunizantes que serão produzidos no próximo ano, acrescentou a Prefeitura.

Siga nossa página no Google News e receba mais notícias de Mogi das Cruzes

Essa notícia foi atualizada em 20 de dezembro de 2021 19:02

Compartilhar
Leandro Cesaroni

Jornalista graduado pela FIAM e pós-graduado em jornalismo cultural pela FAAP