CULTURA

Últimos dias para visitar a exposição Ausente Manifesto no Sesc Mogi das Cruzes

Até o próximo domingo (20), ainda será possível visitar gratuitamente a exposição ‘Ausente Manifesto: ver e imaginar a arte contemporânea‘ no Sesc Mogi das Cruzes. Aberta no dia 6 de novembro do ano passado, ocasião de inauguração da unidade, a mostra reúne 35 obras de diversos artistas, trazidas por meio de uma parceria inédita com o MAM (Museu de Arte Moderna de São Paulo).

O recorte para o Sesc Mogi, que inclui duas obras externas ao galpão da unidade, foi feito com a curadoria de Cauê Alves e Pedro Nery e já recebeu 8.633 visitantes.

Algumas obras discutem objetivamente o lugar da arte, muitas vezes fora dos museus. São obras que revelam o negativo de uma obra. As obras escolhidas são de artistas contemporâneos que transpõem as divisões sedimentadas das linguagens artísticas, trazendo à tona um jogo entre desenho e instalações, vídeo e imagem, fotografia e representação. A ideia é criar uma oportunidade de aproximar o público amplo e diverso do Sesc da arte contemporânea.

Os artistas que integram a mostra são Adriana Varejão, Angela Detanico, Anna Bella Geiger, Antonio Dias, Cao Guimarães, Carlito Carvalhosa, Cinthia Marcelle, Coletivo Garapa, Dora Longo Bahia, Efrain Almeida, Ernesto Neto, Fabrício Lopez, Gabriel Velarde, Gilvan Barreto, Jonathas de Andrade, José Damasceno, José Patrício, Lenora de Barros, Lucia Koch, Marcius Galan, Marepe, Matheus Rocha Pitta, Mídia Ninja, Milton Machado, Milton Marques, Nelson Leirner, Nuno Ramos, Rafael Lain, Regina Silveira, Rivane Neueschwander, Romy Pocztaruk, Sara Ramo, Tadeu Jungle,  Thiago Bortolozzo, Thiago Honório e Waltércio Caldas.

Na exposição, sente-se a ausência do objeto e ao mesmo tempo é possível imaginá-lo pendurado ali. Esse preenchimento é justamente o universo simbólico pretendido. “Falar do que não está presente é, na verdade, o tema central do museu. Os objetos expostos, guardados e preservados, estão lá por seus valores simbólicos, por exemplo, um simples lápis quando entra para a coleção de um museu, deixa de servir à escrita e passa apenas a atender ao olhar do visitante.”, comentam os curadores.

A exposição reforça um caráter inusitado, e por vezes irônico, da arte contemporânea em deturpar a lógica de representação dos objetos que são reconhecidos por suas utilidades, estabelecendo, dessa forma, uma ordem diferente entre o que é representar e criar. A arte é produtora do simbólico de nascença, ou seja, quando criada ela não tem uma utilidade prática.

Foto: Kaio Barreto

Serviço

  • ExposiçãoAusente Manifesto: ver e imaginar a arte contemporânea
  • Até 20/02/22, Livre | Grátis
  • Onde? Sesc Mogi: Rua Rogerio Tácola, 118, Bairro do Socorro, Mogi das Cruzes, SP
  • Quando: Horário de funcionamento:
  • De terça a sexta, das 13h às 22h
  • Sábados, domingos e feriados, das 9h às 18h
  • Agendamento: Sua visita também pode ser mediada com educadores e profissionais de artes visuais nos horários a seguir. Basta marcar pelo aplicativo: Credencial SescSP, disponível gratuitamente:
  • 3as feiras, 20h| 4as feiras, 17h | e 6as feiras, 17h
  • Sábados e Domingos, 13h30

Clique aqui e confira mais notícias de cultura

Essa notícia foi atualizada em 14 de fevereiro de 2022 12:04

Compartilhar
Leandro Cesaroni

Jornalista graduado pela FIAM e pós-graduado em jornalismo cultural pela FAAP