Prefeitura de São Paulo encerra linhas intermunicipais da EMTU no Alto Tietê

ALTO TIETÊ

A Prefeitura Municipal de São Paulo anunciou a paralisação de 12 linhas de ônibus metropolitanos administradas pela EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos). A medida afeta mais de 70 mil passageiros da região do Alto Tietê, informou a Radial Transporte, explicando que, entre os itinerários extintos, dois são gerenciados pelo Consórcio Unileste, empresa responsável por atender a região de Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis e Suzano.

Quem depende dos ônibus da linha 377TRO – Poá e 460TRO – Ferraz Vasconcelos para acessar a rede metroferroviária por meio do terminal Corinthians-Itaquera, a partir de agora será obrigado a desembolsar um pouco mais, usando os ônibus metropolitanos e municipais da Capital sem integração tarifária entre EMTU (metropolitano) e SPTrans (municipal).

Em nota, a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes informou que a linha 460TRO Ferraz de Vasconcelos – Parque Artur Alvim será descontinuada, também cumprindo determinação da Prefeitura Municipal de São Paulo contida na Portaria SMT.GAB nº 074/2020. Segundo pronunciamento, a EMTU teria deixado de cumprir obrigações administrativas junto a SMT, dentro do prazo previsto. A opção para os passageiros será a utilização de linha municipal de Ferraz de Vasconcelos com transbordo para a CPTM.

Em decorrência da paralisação, a empresa Radial Transporte informou que reforçou o atendimento das linhas municipais de Ferraz de Vasconcelos, com acréscimo de carros e alteração de itinerário para amparar a população que necessita de transporte coletivo.

Petição online

Evandro Alves Raymundo, motorista e morador da cidade de Ferraz de Vasconcelos, resolveu tomar uma iniciativa diante da situação e iniciou um abaixo-assinado online pedindo o retorno dos itinerários: “Eu conheço muitas pessoas que dependem destas linhas para ir trabalhar, inclusive amigos e parentes. Agora, a situação ficou bastante complicada”, afirma.

A decisão de reivindicar por melhorias veio à tona quando Evandro presenciou os passageiros continuando o trajeto a pé: “Eu vi, inclusive, pessoas descendo na estação Artur Alvim e caminhavam até a estação Patriarca-Vila Ré (um percurso de 2,5 quilômetros) para economizar na passagem. Isso é um absurdo e um descaso com a população”.

Em menos de 24 de criação, o abaixo-assinado conta com 528 apoiadores, 950 visualizações e 182 compartilhamentos.

Entre em nossos Grupos de WhatsApp ou em nosso Canal no Telegram e fique por dentro de tudo o que acontece em Mogi das Cruzes e região



Deixe um comentário:
Os comentários não representam a opinião do Notícias de Mogi e são de responsabilidade do autor da mensagem. Conteúdos com palavrões serão excluídos.