MOGI DAS CRUZES

Mogi das Cruzes registrou 491,2 milímetros de chuva em janeiro, diz Defesa Civil

O município de Mogi das Cruzes acumulou 491,2 milímetros de chuva neste mês de janeiro, de acordo com medição diária realizada na estrutura do Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), na Ponte Grande. Somente neste final de semana, foram 201,5 milímetros. Os dados foram divulgados pela Prefeitura, por meio do Departamento de Defesa Civil.

O grande volume de chuvas registrado neste final de semana elevou o nível do rio Tietê, que chegou a 3,85 metros, na medição desta segunda-feira (31). Com isso, houve o extravasamento da calha e ruas dos bairros do Mogilar, Ponte Grande, Jardim Maricá e Vila Industrial foram atingidas pelas águas.

A Defesa Civil informou que mantém o monitoramento da área próxima ao rio Tietê, dentro das ações da Operação Verão. Ainda segundo a Prefeitura, além disso, a Secretaria Municipal de Assistência Social monitora a situação e fará o atendimento aos moradores, caso seja necessário. Na vistoria realizada nesta segunda-feira, o nível da água nas ruas já estava diminuindo.

Após o término do acúmulo de água nos pontos atingidos, equipes da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana realizam o trabalho de limpeza. 

A Prefeitura de Mogi das Cruzes informou, ainda, que iniciou os procedimentos para reforçar junto ao Governo de SP e ao Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE) a solicitação para que seja realizado o desassoreamento do rio Tietê no trecho que passa por Mogi das Cruzes. O rio Tietê é o principal curso d’água que corta o município e seu desassoreamento é importante para melhorar o sistema de escoamento de águas pluviais no município, colaborando para evitar a ocorrência de inundações ou alagamentos.

Atendimentos

Durante o final de semana, a Defesa Civil de Mogi das Cruzes recebeu 16 chamados, entre pedidos de vistoria, quedas de árvore e alagamentos. Não há registros de desabrigados no município, segundo a Prefeitura.

Uma residência que teve a escada externa, que era apoiada em um morro, danificada pelo deslizamento do talude foi interditada no Botujuru. Os moradores foram para a casa de parentes. Já no Jardim Camila, um comércio foi interditado também por risco. 

Devido ao grande volume de chuva, também foram registrados, durante o final de semana, pontos de alagamento em diversas regiões da cidade, como nos distritos de Cezar de Souza, Sabaúna, Braz Cubas e Jundiapeba, além de bairros próximos à região central. Com a diminuição na intensidade da chuva, a água dos pontos de alagamento escoou pelo sistema de drenagem.

As equipes da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana iniciaram, ainda durante o final de semana, os trabalhos de limpeza e manutenção, enquanto o setor de podas de árvores da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente atendeu chamados de quedas de árvores, com apoio de outros órgãos participantes da Operação Verão.

A Defesa Civil de Mogi das Cruzes permanece monitorando a cidade, dentro dos trabalhos da Operação Verão 2021/2022, que é realizada entre 1º de dezembro e 31 de março. Neste período, o atendimento a urgências e emergências causadas pelas chuvas é prioridade para as estruturas da Prefeitura de Mogi das Cruzes e dos demais órgãos participantes. A população pode comunicar emergências pelo telefone 199, da Defesa Civil, ou 153, da Central Integrada de Emergências Públicas (Ciemp).

Foto: Divulgação

Clique aqui e confira as últimas notícias de Mogi das Cruzes

Essa notícia foi atualizada em 31 de janeiro de 2022 21:23

Compartilhar
Leandro Cesaroni

Jornalista graduado pela FIAM e pós-graduado em jornalismo cultural pela FAAP