ALTO TIETÊ

Estado anuncia mais leitos para Covid-19 em Mogi das Cruzes e Ferraz de Vasconcelos

Em reunião virtual na tarde da última terça-feira (12), o secretário de Estado de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, anunciou aos prefeitos do Condemat (Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê) o reforço na estrutura de saúde da região para os casos de Covid-19.

O destaque é o Hospital Regional Dr. Osiris Florindo Coelho, em Ferraz de Vasconcelos, que deverá ter, em 10 dias, 30 leitos para pacientes com o novo coronavírus, sendo 10 de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e 20 de Clínica Médica. Além disso, o Estado atendeu o pleito dos prefeitos para a inclusão do Hospital Regional de Ferraz como referência da Covid-19.

Vinholi também adiantou que o Hospital Luzia de Pinho Melo, em Mogi das Cruzes, terá mais leitos, sem especificar quantidades e prazos. Segundo ele, neste caso, a ampliação depende da disponibilidade dos aparelhos respiradores.

“Estou antecipando aos prefeitos anúncios que serão feitos pelo governador e que serão detalhados pela equipe da Saúde. Também estarei levando para estudo o que foi apresentado pelo Alto Tietê nesta reunião”, disse Vinholi.  

Uma das questões bastante debatidas pelo consórcio é a ampliação de leitos do Hospital das Clínicas Auxiliar de Suzano. Chegaram a ser anunciados 100 leitos para a unidade, no entanto, ainda não há previsão para disponibilização e os prefeitos reforçaram a importância da unidade para atendimento da região. Nos próximos dias, o Condemat deverá ter uma reunião com os técnicos da Secretaria de Estado da Saúde para discutir o assunto.

Vinholi também prometeu reiterar o pedido à Polícia Militar (PM/SP) para apoio aos municípios na fiscalização do isolamento social e estudar a solicitação de compensação financeira às prefeituras.

O secretário estadual anunciou, por fim, que o governador João Doria deverá criar um fórum com representantes de todas as regiões para discutir as ações contra o Covid-19. “Nossa pretensão é integrar as cidades, a fim de conseguirmos alinhar os trabalhos e os modelos de quarentena, por exemplo. Isso terá início nos próximos dias”, informou Vinholi.

“A região respeita as decisões do governador e faz o possível para cumprir integralmente os decretos, mas sabemos dos impactos na cidade e da ineficácia das ações se não tiver o apoio do Estado”, afirmou o presidente do Condemat e prefeito de Guararema, Adriano Leite, acrescentando em seguida: “O Hospital Regional de Ferraz desde o início era a grande bandeira do Condemat e acabamos de ser atendidos. Porém, há questões que permanecem em aberto e para as quais esperamos uma maior atenção do Governo, pois o Alto Tietê tem o segundo maior contingente populacional, depois da capital, e lidera as taxas de letalidade por coronavírus na Região Metropolitana de São Paulo”.

Além do presidente Adriano Leite, participaram da reunião os prefeitos Guti Costa (Guarulhos), Marcus Melo (Mogi das Cruzes), Rodrigo Ashiuchi (Suzano), José Carlos Fernandes Chacon (Ferraz de Vasconcelos), Fábia Porto (Santa Isabel), Gian Lopes (Poá), Walter Tajiri (Biritiba Mirim), Vanderlon Gomes (Salesópolis), Celso Simão (Santa Branca) e Willian Harada, representando o prefeito Mamoru Nakashima (Itaquaquecetuba).

Respiradores

Segundo o secretário de governo e vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, São Paulo fez, até este momento, três compras de respiradores e aguarda pela chegada deles para conseguir aumentar a quantidade de leitos disponíveis para tratamento do novo coronavírus. “Temos hoje três compras realizadas, uma delas na indústria nacional feita no início da pandemia em que as entregas estão programadas para os meses de maio, junho e julho. Já chegaram lotes de respiradores e eles foram colocados imediatamente em uso. No final de semana, por exemplo, teve 20 novos respiradores para a capital”, explicou Garcia. Esse contrato teve o investimento do governo paulista de US$ 2,5 milhões.

Outra compra, segundo ele, foi feita na China. “Ela foi repactuada de 3 mil respiradores para 1.280 porque essa era a capacidade de entrega da indústria até a primeira semana de junho. Então ficamos com aquilo que era necessário no tempo da epidemia de São Paulo”. Esse contrato, segundo Garcia, que era de US$ 100 milhões, foi reduzido para US$ 44 milhões.

Já a terceira compra, explicou o secretário, é de mil respiradores chineses, mas adquiridos em Londres [Inglaterra]. Esse contrato, segundo o vice-governador, teve o investimento de US$ 20 milhões. Com isso, o total de respiradores adquiridos por São Paulo é de 2.530 respiradores, dos quais 1.150 serão entregues em São Paulo até o dia 20 de maio.

O governador João Doria ainda acrescentou que o governo paulista solicitou mais 200 respiradores ao Ministério da Saúde, ainda sem previsão de entrega.

*com informações da Agência Brasil

Confira as últimas notícias sobre coronavírus em Mogi das Cruzes e Região

Essa notícia foi atualizada em 13 de maio de 2020 16:00

Compartilhar
Leandro Cesaroni

Jornalista graduado pela FIAM e pós-graduado em jornalismo cultural pela FAAP