ALTO TIETÊ

Covid-19: Alto Tietê recebe amanhã o primeiro lote de vacinas para crianças

A região do Condemat (Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê) recebe neste sábado (15) o primeiro lote de imunizantes infantis contra a Covid-19. Como não há previsão de horário, a expectativa é de que as vacinas comecem a ser aplicadas para o público de 5 a 11 anos da região a partir de segunda-feira (17).

De acordo com o Plano Estadual de Imunização (PEI), nesta primeira etapa serão vacinadas as crianças com comorbidades ou deficiência, quilombolas e indígenas, e na sequência, será aberto o escalonamento por idade em ordem decrescente.

Esta primeira remessa conta com 16.927 doses que serão entregues aos 12 municípios consorciados. Os municípios que pertencem ao Alto Tietê farão a retirada do seu quantitativo no Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE), órgão vinculado ao Estado que fica em Mogi das Cruzes. Já Santa Branca retira os imunizantes na GVE de São José dos Campos.

Confira abaixo a distribuição de doses por municípios da região:

CidadeComorbidadesPCD (Pessoas com Deficiência)Indígenas e Quilombolas
Arujá45958
Biritiba Mirim15625
Ferraz de Vasconcelos974138
Guararema14225
Guarulhos6.702924100
Itaquaquecetuba1.928267
Mogi das Cruzes2.01228710
Poá59450
Salesópolis875
Santa Branca587
Santa Isabel26247
Suzano1.42814240
Total14.8021.975150
Fonte: Condemat

De acordo com a coordenadora da Câmara Técnica de Saúde, Adriana Martins, os municípios estão preparados para o início da imunização infantil. “Tivemos uma série de reuniões em conjunto com a Câmara Técnica de Educação para traçarmos as melhores estratégias para a imunização de nossas crianças com segurança e o máximo de agilidade possível. Os profissionais da região estão capacitados e cada município adotou sua estratégia individual para receber este público a partir de segunda-feira”, afirmou a coordenadora, que alertou os pais para que monitorem as redes sociais do seu município sede, onde serão divulgadas as informações relativas aos locais, dias e horários de imunização, além de dados sobre pré-cadastros municipais.

Apesar de comemorar o início da imunização infantil na região, a coordenadora da Câmara Técnica de Saúde, Adriana Martins aponta que, diante da baixa quantidade de vacinas recebida nesta primeira etapa, a campanha deve ocorrer de forma lenta. A estimativa é de que cerca de 313 mil crianças devem receber a imunização na região. “Tudo indica que será uma vacinação longa, com entregas fracionadas de vacinas. De qualquer forma os municípios estão preparados para avançar com a imunização à medida em que receberem as doses”, disse.

O imunizante infantil é da farmacêutica Pfizer e, de acordo com nota técnica do Plano Estadual de Imunização (PEI), deve ser aplicado em duas doses respeitando o intervalo de oito semanas.

Quem quiser antecipar o registro para a vacinação pode realizar o pré-cadastro das crianças na plataforma Vacina Já, do governo estadual.

Primeira criança vacinada

A primeira criança vacinada contra Covid-19 no Brasil é um garoto indígena de 8 anos. Davi Seremramiwe Xavante vem periodicamente a São Paulo para um tratamento de saúde no Hospital das Clínicas da USP. O início da campanha estadual para crianças de 5 a 11 anos aconteceu no início da tarde desta sexta-feira (14).

A campanha de vacinação infantil em São Paulo começou imediatamente após a entrega do lote inicial de 234 mil vacinas pediátricas da Pfizer à Secretaria de Estado da Saúde. As equipes da pasta receberam o imunizante no final da manhã desta sexta, e a distribuição para todas as regiões do estado será iniciada até o final da tarde.

“O Davi é a primeira criança brasileira a receber a vacina para imunização contra a Covid-19. É um momento histórico para o Brasil. Praticamente um ano após São Paulo iniciar a vacinação aqui no Hospital das Clínicas”, disse o governador João Doria.

Nascido em uma tribo Xavante no estado do Mato Grosso, Davi tem uma condição de saúde que afeta as pernas e o obriga a andar com ajuda de uma órtese. Durante nove meses, ele e o pai, o cacique Jurandir Siridiwe, fizeram viagens periódicas à capital paulista para que Davi fosse tratado no Instituto da Criança do Hospital das Clínicas.

Desde o início do ano passado, Davi passou a morar com uma tutora na cidade de Piracicaba, na região de Campinas. Ela o acompanha nas consultas rotineiras que garoto faz no HC com médicos das áreas de reabilitação e neurologia.

O caso do garoto xavante está sendo estudado por especialistas do Instituto da Criança, que procuram identificar as razões da parda parcial dos movimentos de Davi. Como há outras crianças da mesma tribo com sintomas similares aos de Davi, os cientistas da USP estão conduzindo um estudo genético completo para apontar possíveis causas do problema.

Lista de comorbidades do Ministério da Saúde

  • Insuficiência cardíaca
  • Cor-pulmonale e hipertensão pulmonar
  • Cardiopatia hipertensiva
  • Síndromes coronarianas
  • Valvopatias
  • Miocardiopatias e pericardiopatias
  • Doenças da aorta, grandes vasos e fístulas arteriovenosas
  • Arritmias cardíacas
  • Cardiopatias congênitas
  • Próteses e implantes cardíacos
  • Talassemia
  • Síndrome de Down
  • Diabetes mellitus
  • Pneumopatias crônicas graves
  • Hipertensão arterial resistente e de artéria estágio 3
  • Hipertensão estágios 1 e 2 com lesão e órgão alvo
  • Doença cerebrovascular
  • Doença renal crônica
  • Imunossuprimidos (incluindo pacientes oncológicos)
  • Anemia falciforme
  • Obesidade mórbida
  • Cirrose hepática
  • HIV

Essa notícia foi atualizada em 14 de janeiro de 2022 16:53

Compartilhar
Leandro Cesaroni

Jornalista graduado pela FIAM e pós-graduado em jornalismo cultural pela FAAP. Possui mais de 10 anos de experiência em jornalismo online