BRASIL

Cartão de crédito do Nubank está disponível também para negativados

Um novo cartão de crédito lançado no ano passado pelo Nubank, maior banco digital da América Latina, permite que quem está com o CPF negativado (“nome sujo”) também possa parcelar compras e contratar serviços que só estão disponíveis por meio de cartão.

Com o cartão de crédito do Nubank, o cliente tem a possibilidade de construir um histórico com o banco e aumentar suas chances de receber um limite pré-aprovado no futuro.

Quem adere à nova função recebe um cartão sem limite pré-aprovado. Para ter o limite liberado, o cliente precisa reservar um valor em sua conta no Nubank, que fica indisponível para uso enquanto o cliente faz compras no crédito. Assim que o dinheiro for reservado, ele continua em sua conta e fica apenas separado da quantia restante.

Funciona da seguinte forma: se uma pessoa deseja ter R$ 500 para usar na função crédito, ela reserva R$ 500 de sua conta como limite do cartão. Esse valor é liberado imediatamente para uso no crédito. Se essa pessoa fizer uma compra de R$ 300, essa parte do dinheiro fica indisponível para uso e o limite disponível passa a ser R$ 200. Quando o pagamento da fatura for reconhecido, o limite disponível volta a ser de R$ 500.

Como criar o limite do cartão de crédito

O passo a passo para contratar e reservar um valor como limite é o seguinte:

  1. Na tela inicial do app do Nubank, toque em “Reservar valor como limite”;
  2. Escolha o valor que deseja reservar  da sua conta do Nubank para usar como  limite no cartão;
  3. Leia e aceite os termos e condições;
  4. Confirme o valor a ser reservado  com a sua senha de 4 dígitos;
  5. Pronto! Em poucos segundos o novo limite do seu cartão já estará disponível para uso!

Se o cliente já tiver o cartão de débito do Nubank, a função crédito será ativada na hora. Se não, ele irá receber seu primeiro roxinho em casa.

Clique aqui e confira mais notícias sobre cartão de crédito

Essa notícia foi atualizada em 12 de abril de 2022 16:28

Compartilhar
Leandro Cesaroni

Jornalista graduado pela FIAM e pós-graduado em jornalismo cultural pela FAAP