Buscas por idosa que desapareceu em trilha na Mogi-Bertioga continuam

PUBLICIDADE

Continuam as buscas pela idosa de 62 anos que desapareceu junto de seu filho, de 43, quando ambos faziam uma trilha próxima à cachoeira Véu da Noiva, na Mogi-Bertioga, no dia 7 de dezembro. O homem, que era guarda municipal em Itaquaquecetuba, morreu afogado e seu corpo foi localizado no dia seguinte, mas o da mãe ainda não foi encontrado pela Defesa Civil de Bertioga, que nesta terça (17) entrará no décimo dia de buscas. Ambos moravam em Mogi das Cruzes.

De acordo com o diretor de Defesa Civil de Bertioga, José Carlos de Souza, as buscas estão concentradas em toda a extensão do KM 81 da rodovia, até a Casa de Pedras, o equivalente a cerca de 15 KM pelo curso do Rio Itapanhaú. “A trilha é bem complicada e a correnteza é bem forte”, disse ele. Participam da ação, equipes do Corpo de Bombeiros, da Fundação Florestal e Comando e Operações Especiais (COE).

Foto: Divulgação / Defesa Civil de Bertioga

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o guarda – chamado Cristiano Vieira Vicentino – estava com sua mãe – Iolanda Vieira dos Santos Miranda – fazendo uma trilha pelo local quando sofreu uma queda de uma altura de aproximadamente 10 metros, vindo a cair dentro da cachoeira.

PUBLICIDADE

O 17° Grupamento dos Bombeiros, em Mogi das Cruzes, recebeu um chamado da família por volta das 12h11 deste domingo, após os familiares estranharem o sumiço do homem e de sua mãe, que haviam saído um dia anterior.

Três viaturas foram encaminhadas ao local e encontraram Cristiano já sem vida. Seu corpo foi resgatado com o auxílio do helicóptero Águia da PM/SP (Polícia Militar de São Paulo).

PUBLICIDADE
Cristiano era Guarda municipal em Itaquaquecetuba
(Foto: Arquivo pessoal)
Deixe um comentário

O portal Notícias de Mogi utiliza cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua navegação. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade

Leia mais