Granada de morteiro é encontrada enterrada em sítio de Mogi das Cruzes

Um homem encontrou uma granada de morteiro na tarde da última terça-feira (15) enquanto escavava uma área em um sítio no Parque das Varinhas, em Mogi das Cruzes.

A Guarda Civil Municipal (GCM) informou que foi acionada pelo proprietário do local, que dizia ter encontrado uma bomba em seu sítio. Os guardas, então, foram até o endereço indicado e, após breve análise, constataram se tratar de um morteiro – semelhante aos que eram utilizados na Revolução Constitucionalista de 1932 (saiba mais abaixo).

De imediato, os guardas resolveram isolar a área e acionar a Polícia Militar (PM/SP) que, por sua vez, pediu o auxílio do esquadrão antibombas do GATE (Grupo de Ações Táticas Especiais).

Após a retirada do explosivo, ele foi detonado em um buraco aberto pelos policiais nas redondezas. Um boletim de ocorrência foi aberto no 4º Distrito Policial de Mogi das Cruzes.

Morteiro “Major Marcelino”

O artefato explosivo encontrado enterrado no Parque das Varinhas é semelhante ao morteiro “Major Marcelino”, modelo utilizado na Revolução Constitucionalista de 1932, em que tropas paulistas enfrentaram o exército nacional do governo provisório de Getúlio Vargas.

O morteiro recebeu o nome de um de seus criadores, o major da Força Pública de São Paulo, José Marcelino da Fonseca. Ele era atirado por um lançador que, na época, era fabricado a partir de um eixo de locomotiva.

Foto: Museu da Polícia Militar

O portal Notícias de Mogi utiliza cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua navegação. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade

Leia mais