Com melhora nos índices do Plano SP, Alto Tietê se aproxima da fase verde

O Alto Tietê registrou redução no número de casos e de internações por coronavírus, segundo os índices do Plano São Paulo, que define as classificações da quarentena nas diferentes regiões do Estado. Com isto, a região se aproxima do avanço à fase verde, que amplia a capacidade de público de diversos setores (veja mais detalhes abaixo).

Os dados, anunciados na coletiva de imprensa realizada pelo Governo de SP na última sexta-feira (4), apontam que a região contabiliza uma variação de -15,7% em casos confirmados na comparação com 14 dias atrás, enquanto as internações diminuíram 9,5%.

A atualização mostra que a região teve uma variação de 0,80 em novos casos de coronavírus nos últimos 14 dias, contra 0,95 do período anterior.

Nas internações, a variação dos últimos 14 dias foi de 0,85, enquanto no período anterior era de 0,94. Na divisão por 100 mil habitantes,  a média baixou de 40,6 para 34,7. Especificamente sobre a ocupação de leitos de UTI, o Alto Tietê registrou uma redução de 3,83%. A taxa de ocupação atual está em 52,7% contra 54,8% de 14 dias atrás.

Em relação aos óbitos, a região registra uma variação de 0,88, com proporção de 7,2 mortes para cada 100 mil habitantes, segundo os dados do Plano SP. No período anterior, a variação era de 0,75 e a média por 100 mil habitantes de 6,8. Desde março, o Alto Tietê contabiliza 2.267 vítimas fatais do coronavírus.

Atualmente, o indicador de óbitos é o único que mantém o Alto Tietê na classificação amarela. Em todos os demais, a região está no verde e tem, ao lado de Araçatuba, o segundo melhor desempenho do Estado, atrás apenas na sub-região Norte da Grande São Paulo.

Confira abaixo os índices do coronavírus no Alto Tietê, segundo dados do Plano SP:

Indicador07/0821/08Variação
Taxa de Ocupação Covid/Últimos 7 dias54,852,7– 3,8%
Leitos Covid UTI/100 mil hab.16,215,8– 2,4%
Casos0,950,80– 15,7%
Internações0,940,85– 9,5%
Internações/100 mil hab. (14 dias)40,634,7-14,5%
Óbitos0,750,8817,3%
Óbitos/100 mil hab. (14 dias)6,87,25,8%

“Os indicadores mostram que estamos no caminho certo de controle da pandemia, mas isso não significa que temos uma situação confortável. Pelo contrário, o momento ainda requer muita atenção, cuidados e a colaboração de todos para que a maior flexibilização nas atividades não implique no aumento das estatísticas”, avalia o presidente do Condemat (Consórcio de Desenvolvimentos dos Municípios do Alto Tietê) e prefeito de Guararema, Adriano Leite.

Uma nova atualização das classificações do Plano SP deve acontecer nesta sexta-feira (11).

Fase verde

Uma das maiores diferenças da fase verde em relação à fase amarela é o aumento do limite da capacidade de público de shoppings, comércios, bares, restaurantes e similares de 40% para 60%.

Confira abaixo como cada setor poderá funcionar com o avanço à fase verde do Plano SP:

  • Shoppings: capacidade 60% limitada e adoção dos protocolos geral e setorial específicos;
  • Comércio: capacidade 60% limitada e adoção dos protocolos geral e setorial específicos;
  • Serviços: capacidade 60% limitada e adoção dos protocolos geral e setorial específicos;
  • Bares e restaurantes: capacidade 60% limitada, consumo no local até as 22h (após 14 dias na fase verde) e adoção dos protocolos geral e setorial específicos;
  • Academias: capacidade 60% limitada e adoção dos protocolos geral e setorial específicos;
  • Eventos culturais: classificação na fase no período anterior de, pelo menos, 28 dias consecutivos, capacidade 60% limitada, obrigação de controle de acesso, venda apenas online e hora marcada, filas e espaços demarcados com distanciamento mínimo e adoção dos protocolos geral e setorial específicos

Confira as últimas notícias sobre a quarentena em Mogi das Cruzes e Região

O portal Notícias de Mogi utiliza cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua navegação. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade

Leia mais